/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

1

1

1

1

1


1

1

1


 









Economia

Em 1 ano e meio, preço da energia deve cair de 30% a 40%

Dia 11/10/2019

O ministro da Economia, Paulo Guedes, projetou um "choque da energia barata" no Brasil, que deverá ser sentida em breve. "Imagino em que um ano e meio os preços das termelétricas vão cair cerca de 30% a 40%", afirmou, citando a importação de gás da Bolívia e da Argentina, além da produção oriunda do pré-sal.

O ministro defendeu a abertura do Brasil por meio de do desenvolvimento de infraestrutura de entrada e saída de recursos, como, por exemplo, um trajeto que dê acesso ao Oceano Pacífico pelo Peru, além de outro acesso na Região Norte, na Guiana, onde foram descobertas reservas de petróleo e gás natural. "Precisamos de saída pelo Norte para escoar recursos nossos e para a entrada de recursos em nossa rede."

As declarações foram feitas durante o Fórum de Investimentos Brasil 2019, organizado pelo governo federal, pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Começam os pagamentos do FGTS

Dia 27/09/2019

O pagamento de até R$ 500 por conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começa nesta sexta-feira (27) para os trabalhadores nascidos em maio, junho, julho e agosto com poupança ou conta-corrente na Caixa Econômica Federal. A Caixa Econômica Federal iniciou neste mês o depósito automático para quem tem poupança, seguindo calendário de mês de nascimento.

A Caixa já liberou o pagamento para as pessoas nascidas janeiro, fevereiro, março e abril no dia 13 deste mês. Para trabalhadores nascidos em setembro, outubro, novembro e dezembro, o pagamento será feito a partir do dia 9 de outubro de 2019.

Segundo a Caixa, cerca de 33 milhões de trabalhadores receberão o crédito automático na conta poupança. Os clientes do banco que não quiserem retirar o dinheiro têm até 30 de abril de 2020 para informar a decisão em um dos canais divulgados pela Caixa: site, Internet Banking ou aplicativo no celular.

Os trabalhadores que têm conta-corrente precisam autorizar o crédito automático, por meio do Internet Banking.

De acordo com a Caixa, o crédito automático para quem tem poupança só será realizado para o correntista que abriu a conta até o dia 24 de julho de 2019.

Para aqueles que não têm conta na Caixa, o calendário começa no dia 18 de outubro, para os nascidos em janeiro, e vai até 6 de março de 2020, para os nascidos em dezembro:

Para saber os valores disponíveis para o saque, os canais de recebimento e as opções de crédito em conta, é só acessar o site da Caixa e informar número do CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), do NIS (Número de Identificação Social), do PIS (Programa de Integração Social) ou do Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público) e a data de aniversário. Os saques de até R$ 100 poderão ser realizados em casas lotéricas, com apresentação de documento de identidade original com foto e número do CPF. Será feita a leitura da digital no momento do saque. Para quem possui cartão Cidadão e senha, o saque poderá ser feito nos terminais de autoatendimento, em unidades lotéricas ou correspondentes Caixa Aqui. Quem não tem o cartão Cidadão, deve procurar uma agência da Caixa.

Prazo para o saque

Os trabalhadores poderão sacar a partir do dia indicado no calendário para início do pagamento, conforme a data de seu aniversário, até 31 de março de 2020. Não haverá direito a essa modalidade de saque nos próximos anos. Caso o trabalhador não faça o saque até essa data, o valor retornará automaticamente para a conta do FGTS, sem prejuízo da rentabilidade do período.

Saque aniversário

Outra modalidade de saque, válida para o próximo ano, será o saque aniversário. Os trabalhadores interessados em migrar para essa sistemática poderão comunicar à Caixa, a partir de 1º de outubro de 2019. Ao confirmar esta opção em um dos canais divulgados pelo banco, o trabalhador deixará de efetuar o saque em caso de rescisão de contrato de trabalho.

Quem realizar a mudança, só poderá retornar à modalidade anterior após dois anos da data da solicitação à Caixa.

Caso o trabalhador não comunique o interesse no tipo de saque, a regra da rescisão será mantida.

A decisão de migrar para a modalidade do saque aniversário, não anula a multa de 40% em caso de demissão sem justa causa.

O texto é da Agência Brasil

Inscrições abertas para 2,6 mil vagas no IBGE

Dia 26/09/2019

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicou nesta quarta-feira (25) o edital do processo seletivo para as contratações temporárias relacionadas ao Censo Demográfico 2020. O concurso público vai selecionar 2.658 vagas de nível médio, com salários que chegam a R$ 3,1 mil. As inscrições para o concurso IBGE 2019 começaram hoje (25) e podem ser feitas até o dia 15 de outubro.

A banca organizadora do concurso público do IBGE é a FGV (Fundação Getúlio Vargas). Assim, as inscrições devem ser feitas pelo portal da instituição, onde o edital também está disponível. A taxa de inscrição vai de R$ 42,50 a R$ 58,00 e o pagamento deve ser feito até o dia 1º de novembro.

Concurso IBGE 2019: vagas e salários

Ao todo, serão selecionados 2.658 candidatos. Conforme o edital, são 1.343 vagas para Coordenador Censitário Subárea (CCS) e 1.315 vagas para Agente Censitário Operacional (ACO). As vagas são temporárias porque os aprovados trabalharão especificamente no Censo Demográfico do ano que vem.

Confira os requisitos mínimos e salários para as vagas temporárias disponíveis no concurso IBGE 2019, conforme previsto no edital:

Coordenador Censitário Subárea (CCS): ensino médio completo e CNH (Carteira Nacional de Habilitação) na categoria “B”
Salário: R$ 3.100,00

Agente Censitário Operacional (ACO): ensino médio completo
Salário: R$ 1.700,00

Edital: provas e inscrições

O edital do concurso IBGE 2019 prevê inscrições a partir do dia 25 de setembro. O prazo termina no dia 15 de outubro, mas o pagamento pode ser feito até o dia 1º de novembro. A prova objetiva do concurso público será aplicada no dia 8 de dezembro, e o gabarito será divulgado no dia 9 de dezembro.

A FGV (Fundação Getúlio Vargas) vai preparar uma prova com 60 questões objetivas, mas metade delas são de conhecimentos específicos. Visto que são dois cargos diferentes, a distribuição de questões também muda; confira:

Coordenador Censitário Subárea (CCS)

    • Noções de Administração e Situações Gerenciais (30 questões)
    • Língua Portuguesa (15 questões)
    • Raciocínio Lógico Quantitativo (10 questões)
    • Ética no Serviço Público (5 questões)
  • Agente Censitário Operacional (ACO)
    • Noções de Administração (15 questões)
    • Noções de Informática (15 questões)
    • Língua Portuguesa (15 questões)
    • Raciocínio Lógico Quantitativo (10 questões)
    • Ética no Serviço Público (5 questões)

Saiba mais sobre o concurso IBGE 2019 acessando aqui o edital completo.

Preço do gás vai subir em setembro em todo o Brasil

Dia 03/09/2019

O gás de cozinha vai ficar mais caro a partir de setembro em todo o Brasil. Segundo as distribuidoras, o reajuste será entre R$ 1,50 e R$ 2,50 sobre o preço atual do botijão de 13kg, já que o mês marca o dissídio coletivo dos trabalhadores do setor. O valor da alta depende da região do país. Apesar da justificativa das distribuidoras, a entidade de classe das revendas contesta e classifica as companhias como um ‘oligopólio’.

Em comunicados aos revendedores, as empresas Ultragaz, Nacional Gás e Supergasbras se posicionaram junto aos comerciantes de gás, revelando o reajuste. De acordo com as empresas, uma série de fatores influi no preço, como os acordos coletivos de trabalho e a elevação dos custos de logística.

O acréscimo se dá mesmo após as tentativas do governo em baixar o valor do insumo. Além disso, o Ministério da Economia faz um esforço para equiparar os valores do gás de cozinha e do gás industrial. Em abril, o ministro Paulo Guedes anunciou que pretende quebrar o monopólio da Petrobras sobre o gás, o que poderia reduzir pela metade o valor do botijão. Em Curitiba, um ‘bujão’ de gás custa cerca de R$ 70 reais, em média.

Contestação

A Associação Brasileira das Entidades de Classe das Revendas de Gás (Abragás) contesta os comunicados das empresas. Segundo a associação, uma resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), aprovada na última quinta-feira (29), reduziu a diferença entre os preços do GLP residencial e industrial, o que deveria baratear o custo do insumo para as indústrias. No entanto, o movimento foi o contrário, conforme nota da Abragás.

“Com a nova resolução o que deveria ocorrer seria o preço do GLP industrial igualar ao preço/Kg do GLP residencial, lamentavelmente o oligopólio formado pelas 5 distribuidoras que detém 92% do mercado de GLP no país dão sinais que nada disso ocorrerá se depender das últimas movimentações deste oligopólio”, diz parte do texto.

De acordo com o texto, as empresas que dominam o mercado formaram uma espécie de cartel para combinarem preços e reajustes, evitando assim que as reduções da Petrobras cheguem ao consumidor final. Assim, além de não haver repasse das baixas de preço aos revendedores, a equiparação de preços entre os GLP residencial e industrial se dará ‘pra cima’.

“Nos últimos meses, quando a Petrobrás reduziu o preço do GLP industrial para as distribuidoras, (9,8% em 23/07 e 13% em 02/08), essas [distribuidoras] simplesmente não repassaram as reduções para aos revendedores o que impede que os preços baixem para os consumidores. Por outro lado, no dia 29/08 quando o CNPE anunciou a revogação da resolução 04/2005 com o intuito de equiparar os preços do GLP, as distribuidoras simultaneamente comunicaram à rede de revendas de todo o Brasil um aumento de preços em torno de 3%, a partir de 09/09/19, o que indica entendimento entre o oligopólio para aplicarem índices de aumento idênticos e em datas alinhadas”, atesta a Abragás.

envie para um amigo ...... comente está matéria........ imprimir a matéria

Últimas Notícias
 
Editoria Ano Mês
 
 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, em qualquer meio de comunicação eletrônica ou impresso, sem a devida autorização escrita ou via
e-mail do site Iguaçu Notícias.

 

 


1

1

1

1

1

1
1

1
1

1

1

1

1

1