/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

1


1

1

1

1

1

1

1


1

1

1

1

1


1

1


 









Agronegócio

Federação da Agricultura protesta contra a paralização do Seguro Rural

Dia 12/03/2015

Os produtores rurais brasileiros correm o risco de não terem acesso ao seguro rural em 2015 porque o governo federal ainda não liberou os recursos e as regras de acesso ao Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural.

Nesse momento, os produtores deveriam estar terminando a contratação de seguro de milho safrinha e feijão e iniciando a contratação de culturas de inverno como trigo e cevada. Acontece que sem a subvenção esses seguros são inviáveis aos agricultores pelo custo inacessível das taxas de prêmio. Dessa forma, o mercado de seguro rural está paralisado.

Para agravar a situação, o governo federal está em dívida com as companhias seguradoras no montante de R$ 400 milhões de recursos aprovados no PSR em 2014. Além disso, há uma pendência de R$ 300 milhões referente às apólices de seguro agrícola de 2014, que ainda não foram aprovados no Ministério da Agricultura.

Os produtores rurais serão cobrados pelas seguradoras para pagarem integralmente as apólices referentes aos R$ 300 milhões de 2014, caso o governo não honre os compromissos assumidos pela Presidente Dilma Rousseff no lançamento do Plano Agrícola e Pecuário 2014/15, em 19 de maio de 2014.

Caso esses débitos não sejam quitados em breve, muitas seguradoras podem parar de operar no seguro rural, com corretores e peritos abandonando esse segmento. Se o governo federal não encontrar uma solução ainda em março de 2015, o Brasil corre o risco de desmontar toda a estrutura desenvolvida nos últimos dez anos de construção do mercado de seguro rural.

Proprietário de imóveis rurais devem fazer o CAR

Dia 06/03/2015

O prazo de entrega do Cadastro Ambiental Rural (CAR), obrigatório para todas as propriedades rurais,  termina dia 06 de maio. Os proprietários rurais que não realizarem esse Cadastro estarão impedidos de obter linhas de crédito e financiamentos a partir de 2017.

Até o dia 28 de fevereiro, apenas 6,20% (33.078) das mais de 532 mil propriedades rurais paranaenses estavam cadastradas no sistema. Apesar do baixo número, o Paraná ainda está entre os cinco Estados da Federação que mais têm propriedades cadastradas.

A FAEP participou no último dia 04 de uma reunião com as secretarias de Meio Ambiente, Agricultura e outras entidades para discutir uma estratégia emergencial para auxiliar os agricultores a se adequarem à essa legislação ambiental. Nela, o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette, apresentou duas razões para o baixo número de inscrições no CAR: O desinteresse dos produtores rurais e a falta de profissionais capacitados.

envie para um amigo .... comente está matéria....... imprimir a matéria

Últimas Notícias
 
Editoria Ano Mês
 
 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, em qualquer meio de comunicação eletrônica ou impresso, sem a devida autorização escrita ou via
e-mail do site Iguaçu Notícias.

1

 

 

z1

1
1

1

1

1
1

1

1

1

1

1
1

1

1

1

1

1

1

1