/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

/

1

1

1

1

1


1

1

1


 









Educação

Educação no Paraná tem a maior evolução desde 2005


Na contramão dos bons indíces, professores e educadores cobram novo concurso público e valorização de professores como os PSS

Dia 16/09/2020

Desde 2005 o Paraná não experimentava uma evolução tão grande na avaliação da qualidade do ensino público, conforme mostra o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB). No Ensino Médio, a nota estadual teve a alta mais expressiva do Brasil, de 0,7. Com o avanço histórico, Estado saiu do sétimo para o quarto lugar no ranking de escolas públicas.

Nos Anos Finais do Ensino Fundamental (6o. ao 9o. Ano), a nota da rede estadual também obteve o maior crescimento absoluto do País (0,5). Assim, o sistema paranaense sai do sétimo para o terceiro lugar na classificação nacional divulgada nesta terça-feira (15) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

Os dados mostram que o desempenho das turmas do 6o ao 9o Ano fez a nota do Paraná subir de 4,6 (2017) para 5,1 (2019). São Paulo e Goiás, obtiveram 5,2. No Ensino Médio a evolução foi de 3,7 para 4,4. Com o salto, o Paraná fica com a mesma nota de Pernambuco e próximo de Goiás (4,7) e Espírito Santo (4,6).

CONDIÇÕES - “O desempenho obtido pelos nossos alunos demonstra o esforço do governo para criar as condições de evolução do sistema de educação do Estado”, afirma o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “A nota do ensino médio, com alta de 0,7, representa o maior avanço de todos os tempos no Brasil na avaliação desta fase do ensino”, ressalta ele.

Nos Anos Finais do Ensino Fundamental, o resultado das provas do IDEB coloca o Paraná entre os seis únicos estados a alcançar a projeção de evolução estabelecida pelo Inep para 2019. Tanto nesta etapa quanto no Ensino Médio, a performance das turmas reduziu a diferença de desempenho da rede pública para a rede privada.

TODO ESTADO - O IDEB de 2019 mostra que colégios de 90% dos municípios do Paraná alcançaram alta no desempenho de alunos do Ensino Médio. Das 399 cidades do Estado, houve melhora na nota em 359 cidades. Destas, 336 (80%) atingiram a meta estipulada pelo INEP. A qualidade do ensino evoluiu também entre os alunos dos anos finais do Ensino Fundamental. Houve alta em 336 municípios, e 140 atingiram a meta projetada.

INOVAÇÃO - O secretário estadual da Educação e do Esporte, Renato Feder, destaca que o IDEB reflete políticas inovadoras de ensino que o Paraná vem adotando nos últimos dois anos. Ele destaca iniciativas com o Prova Paraná, Presente na Escola, Tutoria Pedagógica e Mais Aprendizagem.

“Além de novas ferramentas, temos que ressaltar o empenho e o envolvimento do quadro de professores e profissionais do magistério”, afirma Renato Feder. “É o conjunto de ações que traz resultados tão expressivos como o que estamos vivenciando”, destaca o secretário.

FUNDAMENTAL I - O IDEB mostra ainda a evolução do ensino fundamental nos anos iniciais, da 1a. até a 5a. séries. Nesta área, o desempenho das turmas de escolas públicas colocou o Paraná em primeiro lugar no ranking brasileiro. Em 2017, o Estado estava na quinta posição. A nota na atual avaliação é 0,4 maior do que na rede privada de ensino.

Diretor da SEED fala sobre procedimento para a volta às aulas no Paraná

Dia 01/09/2020

Os mais de um milhão de alunos matriculados na Rede Estadual de Ensino do Paraná estudam de forma remota desde abril, logo no início da pandemia da covid-19, mas a Secretaria Estadual da Educação (SEED) está temerosa com a evasão escolar. “Estudos feitos dentro da própria Secretaria apontaram que pode haver uma evasão de até 100 mil alunos até o fim do ano. Essa é nossa grande preocupação”, afirmou o diretor-geral da SEED, Glaucio Dias, ao longo da entrevista que concedeu à TV Assembleia.  Por isso, há uma grande mobilização com toda a comunidade escolar para uma possível retomada do ensino presencial, mesmo que com restrições. “Pais e profissionais estão sendo consultados sobre essa volta através de uma pesquisa que estamos enviando”, completou o diretor-geral da SEED durante o programa Entre Poderes.  

A discussão começou há cerca de dois meses, quando o Secretário Estadual de Educação, Renato Feder, levou até o Conselho Nacional de Secretários da Educação uma carta aberta, que propunha que os estados e os conselhos estaduais de educação se debruçassem sobre o tema retorno. A Secretaria formou um comitê, com participação da Casa Civil do Governo do Estado, da própria Assembleia Legislativa, Ministério Público, Associação dos Municípios do Paraná, Sindicato dos Professores, Conselhos Municipais, União dos Estudantes, as secretarias do Governo de Planejamento e Saúde. “Ao longo de quatro semanas, nós elaboramos uma metodologia onde ouvimos todos os envolvidos, com muito diálogo. A Saúde propôs um protocolo que foi analisado minuciosamente. E estamos nessa fase”, disse Glaucio Dias.

No documento constam uma série de medidas sanitárias e cuidados que terão que ser adotados nesse retorno. A consulta aos pais e profissionais da área da educação está entre as medidas, que inclui também distanciamento e espaçamento de 1,5 m das carteiras, fechamento de áreas comuns, distribuição de máscaras e álcool em gel, medição de temperatura e o ensino híbrido, com metade dos alunos em sala e a outra metade em casa, com aulas remotas. “E estamos orientando toda a rede, tanto estadual, como municipal e privada para que façam o mesmo. Mas a palavra final, lógico será da Secretaria Estadual de Saúde”, ressaltou.

No Paraná são 2.143 colégios na rede estadual, com 1,1 milhão de alunos e 90 mil profissionais. Devido ao tamanho e a complexidade da rede estadual, já se definiu que uma possível volta às aulas seria gradual, por faixa etária. Os alunos do ensino médio e nonos anos voltando primeiro, e a educação infantil ficando para a última etapa.

Glaucio Dias disse que os profissionais da Secretaria da Educação acompanham a retomada até agora bem sucedida em estados como Maranhão e Amazonas e também de outros países, como a Bélgica. E observam ainda as experiências que não deram certo, como a de Israel, que precisou recuar.

Não há data prevista para o retorno. Tudo vai depender dos cenários da doença em cada uma das 22 Regionais de Saúde do Paraná. “Nada impede que também recuemos depois que reabrirmos. É o desenvolvimento ou não da pandemia que vai nos dizer”, esclareceu Dias.

Aula Paraná terá novidades

Enquanto as aulas presenciais não retornam, a SEED deve lançar novas ferramentas para incrementar o programa Aula Paraná,  que além de promover aulas pela internet, aplicativo e por três canais de TV aberta, também distribui material impresso para alunos que não têm acesso ao computador, e merenda escolar às famílias carentes. Foram, segundo a SEED, até agora 18 milhões de quilos de alimentos entregues quinzenalmente para as famílias, garantindo renda a 25 mil produtores rurais e cinco mil produtores de leite.

Para os próximos dias, será lançado um site do programa e serão disponibilizadas aulas de reforço para os estudantes dos terceiros anos do ensino médio, que se preparam para o Exame Nacional do Ensino Médio. “Estamos muito animados na Secretaria, porque aqui no Paraná tivemos um aumento de 40% nas inscrições para o Enem, enquanto no Brasil esse aumento ficou em torno de 13%. O que prova a efetividade do nosso programa on-line”, comemorou o diretor-geral da SEED. 

Ao fazer uma avaliação do processo remoto, Dias elencou avanços no formato, como aprimoramento nas ferramentas de acompanhamento, por exemplo. “Já é possível cada diretor acompanhar on-line o trabalho que vem sendo feito pelos professores e acredito que, se der pra tirar algo positivo de tudo isso, essas mudanças na forma de estudar serão um legado.  Falo até como pai, já que se criou nos alunos um senso de responsabilidade. Percebo isso observando meus filhos”.

Repasses da Assembleia Legislativa

O diretor-geral da SEED também comentou a importância dos repasses de mais de R$ 200 milhões de reais feitos pelo Poder Legislativa para auxiliar o Governo no combate à pandemia. “Demonstra a sensibilidade dos deputados estaduais nesse momento tão difícil que estamos enfrentando em prol do bem público. Uma iniciativa louvável, que temos que aplaudir e agradecer”, enfatizou.

2021 – Em função de perdas de conteúdo e de problemas para acessar o material repassado neste ano, Glaucio Dias adianta que para o ano que vem, a Secretaria deve elaborar uma prova para testar os conhecimentos dos alunos. “Assim poderemos fazer um nivelamento e ter um diagnóstico da situação, para ofertar aulas de reforço e atuar com a nossa equipe pedagógica para auxiliar os estudantes e suas famílias. Esse projeto faz parte do protocolo que estamos adotando”, garantiu.

O programa Entre Poderes com o diretor-geral da SEED, Glaucio Dias, pode ser assistido pela TV Assembleia, pelos canais 10.2 em TV Aberta e 16 pela Claro/Net, e pelo canal do Youtube no link: https://youtu.be/rjfoLsAS5XM.

As informações são da Assembleia Legislativa do Paraná.

IFPR prorroga suspensão de atividades

Dia 01/06/2020

A reitoria do Instituto Federal do Paraná (IFPR) publicou nesta sexta-feira (29), uma nova resolução, prorrogando a suspensão de atividades acadêmicas e administrativas até 31 de julho.

A nova suspensão atende às recomendações da Comissão de Acompanhamento e Controle de Propagação do Coronavírus e da Covid-19 do IFPR, e também às orientações repassadas pela Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação (Setec/MEC) e demais autoridades competentes.

A instituição está com suas atividades suspensas desde 17 de março. Inicialmente, apenas as atividades acadêmicas haviam sido paralisadas, sendo mantidos serviços administrativos. No dia 20 de março, a reitoria decidiu pela suspensão também das ações de administração.

Provas do concurso para Polícia e Bombeiros são adiadas

 

Dia 21/05/2020

A Policia Militar do Paraná e o Núcleo de Concursos da UFPR confirmaram que as provas para a graduação de Soldado PM e Bombeiro Militar foram adiadas em razão das atuais implicações sanitárias frente ao Coronavírus.

Ressalta-se que somente as provas foram adiadas, não houve o cancelamento do concurso, possibilitando aos candidatos um maior tempo para se prepararem para o certame.

Aos candidatos, fica a orientação para buscarem os esclarecimentos necessários nos canais oficiais da PM-PR, locais únicos que ofereçam informações seguras e fidedignas sobre o concurso.

Ainda não há nova data prevista para a realização das provas.

As informações sobre o adiamento das provas foram divulgadas nas redes sociais da PM-PR.

envie para um amigo ...... comente está matéria........ imprimir a matéria

Últimas Notícias
 
Editoria Ano Mês
 
 

É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site, em qualquer meio de comunicação eletrônica ou impresso, sem a devida autorização escrita ou via
e-mail do site Iguaçu Notícias.

 

 


1

1

1

1

1

1
1

1
1

1
1

1